Tá ai uma coisa que eu penso ser importante ser discutida. Porque só tirar fotos de momentos felizes?
A vida é só felicidade? A minha não é. Eu sou ansioso, passo raiva, fico triste, fico desanimado… É claro que também fico empolgado, disposto e quantos mais adjetivos positivos você conseguir pensar. Se a vida é muito mais do que felicidade, porque só registrar ela? Quem foi que esqueceu ou desvalorizou as fotos tristes?

Tem alguma coisa errada
Não que eu imagine que as fotos de um velório seriam super legais de se fazer, mas tudo que é ruim também faz parte de quem nós somos. A morte é uma das únicas certezas que todos podemos ter e estamos excluindo ela dos nossos registros fotográficos. Assim como não fotografamos quando o carro estraga, ou quando um cano entope. E sabe porque eu acho que isso é ruim? Porque isso acaba trazendo um peso para todo mundo. Se em todas as fotos que você vê as pessoas estão lindas, tem casas maravilhosas, estão em um momento (mesmo que simples) extremamente lindo, você acaba se perguntando: Porque essas coisas não estão tão presentes assim na minha vida? Sou azarado? Pior do que os outros?

Um ciclo errado
Ao meu ver isso gera frustração, outra coisa super normal da vida mas que todo mundo esconde. E assim as coisas vão andando. Todo mundo registrando o que é feliz, gerando um conteúdo que oprime a você mesmo, criando ainda mais momentos de tristeza (que por definição social precisam ser evitados e escondidos)… É um ciclo sem fim.

Tem que ter foto de tudo
Quando eu olho algumas fotos antigas minhas, algumas tiradas com uma câmera mais do que simples, com 1.2 Megapixels, fico feliz de ter registrado todos aqueles momentos. As vezes eu estava simplesmente atoa na foto, ou vendo uma paisagem banal, fotografando um ambiente comum… Mas acontece que essas fotos simples é que contém o elemento mágico da fotografia, que é a lembrança que ela carrega. Fotos felizes, coloridas, bem focadas, tecnicamente impecáveis são importantes? Demais! Estudo diariamente para fotografar da forma mais linda possível, todavia sinto falta de ver a foto sendo usada na sua função mais preciosa. A vida é como andar, você anda com um pé e depois com o outro, momentos felizes, momentos tristes. Vai registrar? Registre tudo. Não jogue metade das lembranças da sua vida fora só porque não foram felizes.

About The Author

André Nascimento

Fotógrafo e designer goiano nascido em Brasília, me dedico a extrair o máximo da beleza presente nos noivados, casamentos, aniversários, natureza e demais áreas através da minha fotografia.